Empreendedorismo na Universidade

De saúde à energia, conheça os empreendimentos que a ciência paraibana está lançando para o mundo

20/outubro/2022

Ciência paraibana: Pesquisadores de instituições da Paraíba tiveram suas ideias e soluções aceleradas no programa Capa.CITTA. O objetivo? Solucionar problemas por meio da ciência! 

Aqui na Wylinka acreditamos no poder de transformar a ciência em inovações que melhorem o dia a dia das pessoas. Nosso objetivo, nesses quase 10 anos de atuação, é promover, por meio dos nossos programas, o desenvolvimento econômico, social e sustentável do Brasil acelerando a inovação de base científica e tecnológica para transformar pessoas, negócios, organizações e ecossistemas de inovação. 

O Capa.CITTA é um dessas iniciativas. Programa de aceleração do Centro de Inovação e Tecnologia Telmo Araújo (CITTA), executado por nós com o apoio da Finep, a aceleração on-line buscou contribuir com o fortalecimento da cultura de empreendedorismo no ecossistema de inovação paraibano. 

Segundo a Analista de Projetos da Wylinka, Elena Oliveira, a iniciativa – com foco em pesquisadores vinculados a instituições da Paraíba – foi uma resposta às diversas pesquisas de ponta que têm sido produzidas no Estado, mas que nem sempre saem das bibliotecas das Universidades. “O CITTA identificou a necessidade de incentivar a transformação de produções científicas em soluções para o mercado, seja por transferência tecnológica ou por criação de startups”, conta. 

Dessa forma, o objetivo da aceleração foi qualificar pesquisadores sobre como transformar suas pesquisas em soluções para os problemas da sociedade, focando em resolver desafios das áreas de Energia, Saúde, Recursos Hídricos e TIC. O resultado disso? Uma jornada de autoconhecimento, mudança de mindset e soluções que podem impactar positivamente toda a população!

Pegue um café e conheça algumas dessas soluções com a gente 😉

Ciência à favor da saúde do idoso 

A população brasileira está mais velha. Para se ter uma ideia, entre 2012 e 2021, o número de pessoas com mais de 60 anos passou de 22,3 milhões para 31,2 milhões. Contudo, essa não é uma realidade apenas do Brasil, mas um fenômeno mundial que tem se tornado um grande desafio para a área da saúde.  

Pensando nisso a equipe Seniortech desenvolveu uma tecnologia que busca acompanhar a saúde do idoso por meio de um sistema de monitoramento remoto. Como funciona? Com o uso de smartwatch, relógios digitais inteligentes que têm se popularizado cada vez mais. 

Segundo a equipe, os relógios geram dados sobre a saúde da pessoa monitorada e a partir disso é feito um processamento por meio de inteligência artificial. Após o processamento é gerado um relatório que fornece um panorama sobre a saúde do usuário, o que permite que o médico atue na prevenção de doenças. 

Os resultados práticos já estão aparecendo: atualmente, o grupo composto pelos pesquisadores Paula Barbosa, Eujessika Rodrigues, Alfredo de Paula e Hérika Ruas, participa do programa Catalisa ICT, iniciativa do SEBRAE que está fomentando e apoiando financeiramente a criação de empresas de base acadêmica em todo o Brasil e que conta com a expertise da Wylinka para o desenvolvimento de negócios.  Além disso, a startup mantém uma parceria com a prefeitura de Campina Grande, na Paraíba, e um dos seus integrantes foi para a Holanda para levar o conhecimento desenvolvido pela equipe e testar a tecnologia por lá. Para saber mais acesse o site da ferramenta!

Outra solução, acelerada no programa, que tem como público-alvo as pessoas acima dos 60 anos é a DenturEZ. A equipe, formada por Adriana Carreiro, Anne Ribeiro e Rodrigo Freitas,  desenvolveu um novo processo para fazer dentaduras. 

O principal diferencial da solução é reduzir de cinco para três etapas o processo de fabricação de dentadura. A tecnologia – em que a dentadura pode ser fabricada em uma impressora 3D – também pode reduzir os custos da produção, além de  diminuir o número de consultas e tornar as sessões mais curtas, proporcionando mais conforto para o paciente. 

Atualmente a equipe está testando a solução e a ideia é que 60 pacientes passem pelos dois processos de produção da dentadura e ao final os avaliem.  Para saber mais clique aqui!

Vírus na mira da ciência 

Outra demanda crescente na área da saúde são os equipamentos de proteção antivirais, como filtros de ar condicionado, jalecos e as famosas máscaras que ganharam grande destaque durante a pandemia da Covid-19. Buscando trazer uma opção mais versátil e eficaz do que as que já existem, os pesquisadores Aline Oliveira, Luiz Regis e Jéssica Nascimento desenvolveram o DisAnti

O dispositivo antiviral tem um preço menor, pode ser reutilizável e sua eficiência é de 99,99% na inativação de vírus. A ideia surgiu como uma resposta a Covid-19, porém pode ser usada para a proteção de diversas outras doenças. 

A tecnologia, que se assemelha muito a um pano, conta com uma ampla possibilidades de aplicação como em purificadores de ar e ar condicionado hospitalares, assim como em respiradores individuais. Porém, atualmente, seu principal uso está focado na produção de equipamentos de proteção individual, os famosos EPIs.

Energia e sustentabilidade

Já na área de energia, o LiteMe Maps desenvolveu uma tecnologia para mapear o uso de energia elétrica. A ferramenta tem como público-alvo universidades públicas e privadas, assim como prefeituras, consumidores que possuem um alto consumo de energia e normalmente contam com múltiplas unidades consumidoras.

A solução, desenvolvida pelos pesquisadores Mário Neto, Nicole Duarte e equipe, une inteligência artificial e eficiência energética para mapear o consumo de energia do local. Para isso, a equipe instala um medidor que irá fazer toda a leitura de consumo e enviar os dados para a nuvem. Após a coleta as informações são processadas e apresentadas em um dashboard, intuitivo onde os gestores podem ver os pontos de atenção, os históricos de consumo e gerar relatórios.

Além disso, a plataforma oferece um monitoramento georreferenciado da área.  Segundo a dupla, este é o grande diferencial da ferramenta pois ele mostra, em tempo real, todas as unidades e os seus status de consumo, ou seja, se estão abaixo da média, na média ou acima da média de consumo energético. 

A partir desse mapeamento os gestores conseguem identificar possíveis falhas no dimensionamento e no uso da energia de forma fácil e eficiente. Diminuindo, assim, o tempo de resposta ao problema. 

Atualmente a equipe trabalha para lançar a venda de medidores e a assinatura mensal da plataforma com 20 pontos de medição, customização do mapa e a taxa de implantação. Além disso, estão estudando formas de ampliar sua cartela de serviços para oferecer funcionalidades ligadas à iluminação pública e geração de energia distribuída. Para saber mais sobre a solução clique aqui.    

Capacitando a ciência

Essas foram apenas algumas das soluções geradas no programa Capa.CITTA! Confira todas as soluções aceleradas abaixo:

  • RestaurAgua – serviço de recuperação de águas eutrofizadas e monitoramento das comunidades biológicas.
  • Carolaine.healthtech – plataforma de serviços com personalização do cuidado da pele.
  • DisAnti – Dispositivos Antivirais – Aplicação de filtros antivirais em EPI’s como máscaras e roupas de proteção.
  • GIDA – processamento inteligente de dados da distribuição de água para o apoio à tomada de decisões visando a eficiência operacional do sistema.
  • Fios de sutura bioabsorvíveis – fios de suturas cirúrgicos para fechamento de lesões e a aceleração na cicatrização.
  • SWARM – implementação de software para gestão de informações e disponibilização de reuniões remotas aos comitês de bacias.
  • Monitoramento da qualidade do combustível e saúde dos motores de veículos – dispositivo de monitoramento e diagnóstico. Ele envia os dados do motor para um o aplicativo.
  • Plataforma de Monitoramento Remoto para Idosos – sistema de monitoramento remoto, desenvolvido pela equipe, que utiliza dispositivos vestíveis, aplicativo móvel e inteligência artificial para monitoras a saúde do idoso.
  • LiteMe Maps – tecnologia de mapeamento de energia elétrica que identifica falhas no dimensionamento e no uso da energia.
  • Cardioporf – fármaco para o tratamento e prevenção de arritmias cardíacas.
  • iSPAR – desenvolvimento de novas soluções e algoritmos voltados para a proteção e análise de ocorrências em sistemas elétricos de potência.
  • DenturEZ – produção de dentaduras com redução de custos, menor quantidade de consultas clínicas e sessões mais curtas, proporcionando conforto para o paciente.
  • BeFast – cursos para as empresas qualificarem seus profissionais.

Quer conhecer mais sobre cada solução ou entrar em contato com as equipes? Baixe a brochura de apresentação do programa, clique aqui!

Autora: Tuany Alves (jornalista e analista de comunicação pela Wylinka)

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments