Deep Techs e Startups

10 vezes em que a ciência brasileira brilhou contra o Covid-19

29/julho/2020

10 vezes em que a ciência brasileira brilhou contra o Covid-19

Quem nos conhece sabe: somos apaixonados por ciência. E mais: dedicamos todos nossos esforços para fazer com que a ciência se transforme em aplicações, melhorando o mundo e criando novas organizações inovadoras pelo Brasil. No texto de hoje, resolvemos fazer um compilado de momentos em que a ciência brasileira bateu de frente com a pandemia, desenvolvendo tecnologias e soluções poderosíssimas no combate ao Covid-19.

Lembrando que, sendo ciência, todos os desenvolvimentos em questão passam por longos processos de validação e testagem, não podendo ser tratados como soluções milagrosas. De toda forma, a resposta rápida da ciência brasileira é uma prova de que temos muito talento em nossas universidades e institutos de pesquisa, sendo somente necessário maior apoio do governo e da sociedade. Agora, vamos às realizações!

Photo by Ousa Chea on Unsplash

1) UFSCAR e seu tecido à prova de Coronavírus.

Pesquisadores da UFSCar, junto à startup Nanox, desenvolveram um tecido que se mostrou capaz de eliminar 99,9% do coronavírus (segundo o professor Nelson Longo, do Instituto de Química da Universidade). A tecnologia, que já está sendo aplicada no desenvolvimento de tecidos, especialmente máscaras, permitirá que se reduza muito o impacto de contaminação cruzada (toque em superfícies depois contato com mucosas).

Link para mais detalhes: https://paisefilhos.uol.com.br/familia/tecido-que-elimina-coronavirus-em-2-minutos-esta-disponivel-veja-como-funciona/

2) Bioest e seu antisseptico de impacto para comunidades carentes

A Bioest, startup vencedora do Desafio USP Covid-19, liderada por empreendedoras da Escola de Enfermagem da USP Ribeirão Preto, Escola de Engenharia da USP Lorena e Instituto de Ciências Biomédicas da USP, desenvolveu um antisséptico de baixo custo que, segundo a ANVISA, é mais efetivo que álcool em gel. Por ser um produto de baixo custo, o modelo da startup se baseia no formato one for one: a cada produto comprado, um produto é doado para famílias em situação de vulnerabilidade.

Link para mais detalhes: www.bioest.com.br

3) USP e o desenvolvimento de uma vacina por spray nasal

Seguindo um modelo já testado com camundongos contra hepatite B, um grupo de pesquisadores da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP está testando o desenvolvimento de uma vacina de nanopartículas por spray nasal. Segundo os pesquisadores, a ideia é inibir a entrada do patógeno, bem como sua proliferação.

Link para mais detalhes: https://jornal.usp.br/ciencias/vacina-em-spray-com-aplicacao-no-nariz-sera-testada-contra-a-covid-19/

4) Respiradores de baixo custo desenvolvidos na Escola de Politécnica da USP

Na escola de engenharia da USP, campus cidade universitária, pesquisadores desenvolveram o Inspire, um respirador de baixo custo para suporte a pacientes com problemas respiratórios decorrentes do coronavírus. Além disso, o projeto contou com o suporte de uma família filantropa ligada à Universidade — a família Pasternak, envolvendo Suzana Pasternak (professora aposentada da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo) e Natália Pasternak (pesquisadora pelo Instituto de Ciências Biomédicas), que doou cerca de 2 milhões de reais para a produção do respirador.

Link para mais detalhes: https://jornal.usp.br/institucional/doacao-da-familia-pasternak-viabilizou-o-projeto-do-ventilador-pulmonar-inspire/

5) Sequenciamento do genoma viral em apenas 48h

O Brasil foi um dos países a mais rápido sequenciar o genoma do coronavírus graças ao esforço de pesquisadores do Instituto Adolfo Lutz (IAL), da Universidade de Oxford e do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (IMT-USP). O trabalho, liderado pelas pesquisadoras Ester Cerdeira Sabino e Jaqueline Goes de Jesus é fundamental para o desenvolvimento de tratamentos e vacinas.

Link para mais detalhes: https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2020/03/brasileiras-que-lideraram-o-sequenciamento-do-novo-coronavirus.html

6) Einstein e Varstation no desenvolvimento de teste inédito no mundo

Desenvolvido pela startup de bioinformática Varstation junto ao braço de inovação do Hospital Albert Einstein, o novo teste é capaz de processar em uma velocidade 16 vezes mais rápida que testes atuais, como o RT-PCR. A tecnologia é capaz de realizar cerca de 100.000 testes por mês, sendo uma grande arma para controle da pandemia.

Link para mais detalhes: https://exame.com/pme/startup-do-einstein-desenvolve-novo-teste-de-coronavirus-inedito-no-mundo/

7) USP e UFMG mapeando 4 drogas potenciais para o tratamento da COVID

Em uma primeira versão disponível no Biorxiv, pesquisadores da USP e da UFMG apresentaram o resultado de testes in vitro (células vivas) e in silico (computadores) com 65 componentes químicos que poderiam combater o COVID. Dos 65, 4 drogas foram identificadas como potenciais. Apesar disso, os resultados ainda são preliminares e, como se sabe, testes in vitro ainda precisam percorrer uma longa jornada de outros testes para se mostrarem efetivos em seres humanos.

Link para mais detalhes: https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude/noticia/2020/07/brasileiros-identificam-quatro-drogas-com-potencial-para-tratar-covid-19.html

8) UFPB desenvolvendo capacete de proteção com respirador acoplado

Similar aos utilizados na Europa, pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba desenvolveram um capacete que oferece ventilação não invasiva a pacientes de COVID, formato que minimiza complicações como infecções hospitalares. Os protótipos já foram enviados para testes no Hospital das Clínicas de São Paulo e ajudam no gargalo de equipamentos causado pela pandemia.

Link para mais detalhes: https://www.sonoticiaboa.com.br/2020/05/06/sao-paulo-testar-capacete-funciona-respirador/

9) Rodos com UV para descontaminação de hospitais pela USP São Carlos

O Instituto de Física da USP de São Carlos entregou à Santa Casa da Misericórdia de São Carlos rodos que utilizam radiação ultravioleta para descontaminação de pisos. Segundo estudos, a luz UV-C destrói a capa proteica e o material genético de qualquer vírus, o que leva à sua aniquilação e descontaminação local.

Link para mais detalhes: https://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-exatas-e-da-terra/usp-entrega-a-hospital-rodos-com-radiacao-ultra-violeta-para-descontaminacao/

10) Inteligência Artificial para geração de insights sobre grupos de risco via UFMG e Kunumi

A união da startup Kunumi, liderada por um renomado professor empreendedor da UFMG, o Nivio Ziviani, junto ao LIA (Laboratório de Inteligência Artificial da Universidade Federal de Minas Gerais), permitiu o desenvolvimento de uma tecnologia baseada em IA capaz de melhorar insights sobre grupos de risco. A tecnologia conseguiu gerar modelos preditivos sobre a progressão da COVID-19 no mundo e identificar variáveis mais influentes nas mortes decorrentes da doença, sendo uma excelente aliada na proteção de grupos de risco.

Link para mais detalhes: https://medium.com/kunumi/inteligência-artificial-sugere-grupo-de-risco-para-covid-19-a-partir-dos-45-anos-89dcc460b99c

Quer mais?

A ciência brasileira é poderosíssima, e precisamos cada vez mais dar atenção a ela! Se você quiser acompanhar mais notícias como essas, não deixe de nos seguir no facebook, linkedin ou instagram. Além disso, acompanhe nosso site para ver projetos que fazemos, tais como o mapeamento de tecnologias para COVID-19 que fizemos junto com o Núcleo de Política e Gestão Tecnológica da USP (PGT-USP) e o PIPE Social.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments