Empreendedorismo para pesquisadores, inovação tecnológica para indústria

 

Desafio

Como preparar pesquisadores para interagir com a indústria?

 

Resultado

Programa de formação empreendedora e conexão com o mercado para pesquisadores da Química

 

Pesquisa científica e inovação tecnológica no Brasil

Em 2017, dos dez maiores depositantes brasileiros de patentes, 09 eram universidades, sendo 08 estaduais ou federais e 01 particular. (Relatório de Atividades do INPI 2018).

De acordo com o Relatório Formict 2017 (ano base 2016), o número de pedidos de patentes de Instituições de Ciência e Tecnologia (ICT) foi 3.203. No mesmo ano, foram contabilizados 1957 contratos de tecnologia: 42,1% são contratos de licenciamento de direitos de propriedade intelectual; 24,8%, acordos de parceria de pesquisa.

Esses dados comprovam a importância da universidade brasileira no desenvolvimento científico e tecnológico. Evidenciam também a distância entre o número de patentes solicitadas e o de contratos firmados.

Como aumentar essa ‘taxa de conversão’, e fazer com que mais inovação de base científica e tecnológica chegue ao mercado?

 

Quando Academia e Indústria trabalham juntos

Entendendo que um dos principais desafios é promover o encontro entre pesquisadores e mercado, a Wylinka se juntou com a Sociedade Brasileira de Química (SBQ) e o INCT Midas para construírem juntos o primeiro programa nacional de cultura empreendedora para pesquisadores da área Química.

O INCT Midas é um projeto dentro do Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia com a missão de desenvolver ciência aplicada nas áreas químicas e afins com objetivo de gerar tecnologias de alto potencial. O Midas atua também na promoção da cultura empreendedora entre professores e alunos e conexão universidade-mercado para o desenvolvimento de soluções tecnológicas. 

Com o objetivo de aproximar pesquisadores e indústria, o INCT Midas e a Wylinka formataram um programa para que pesquisadores conheçam a cultura empreendedora e se preparem para o diálogo com o mercado.

Representantes da indústria química, a Rhodia Solvay – referência na indústria química na promoção do desenvolvimento sustentável, e Oxiteno – líder em tensoativos e especialidades químicas, entraram como patrocinadoras do programa.

Além de patrocinadoras, Rhodia Solvay e a Oxiteno participam do programa de forma ativa: elas propuseram desafios da área química que balizaram a seleção dos projetos inscritos e disponibilizaram profissionais para acompanhar aqueles selecionados.

 

Empreendedorismo para Pesquisadores

Com o nome de SBQ Acelera, o programa de pré-aceleração  foi lançado em julho de 2019, com um edital para seleção de projetos. Durante 11 semanas, pesquisadores terão acesso a conteúdos e ferramentas do universo empreendedor.

O maior diferencial do programa, contudo, é a conexão com o mercado, que acontece por meio de mentorias, webinários e bancas de avaliação.

As equipes estão passando agora pela Etapa 1 – Mercado. Fase que aborda as demandas da indústria e prepara os pesquisadores para conectar seus projetos a essas demandas e interagir com atores do mercado.

Ao final dessa etapa, as equipes passam por uma banca de corte em que cinco projetos serão selecionados para a Etapa 2 – Modelo de Negócio. Nela, os pesquisadores serão orientados no desenvolvimento de um produto/serviço a partir de seu projeto de pesquisa.

Na terceira e última etapa, Validação, esse produto/serviço é testado no mercado. O programa se encerra com a apresentação dos projetos e sua evolução em um demoday.

 

Mais empreendedorismo na Academia, mais inovação na Indústria

A proposta do SBQ Acelera é estimular o comportamento empreendedor nos pesquisadores e conectar a indústria com projetos de base científica e tecnológica em sinergia com seus desafios. 

Ao promover essa interação, o programa gera benefícios para o ecossistema como um todo criando oportunidades de parcerias em projetos, contratos tecnológicos e, consequentemente, mais inovação no mercado.

 

De quais áreas de pesquisa sua organização quer se aproximar? 

Que tal replicar este programa no contexto da sua empresa?

 

Para levar essa conversa para sua organização, entre em contato com a gente! –> [email protected]