Já executado em 11 países ao redor do globo, o GIPA (Global Innovation Policy Accelerator) é implementado por uma das principais instituições no mundo que trabalham com inovação, o NESTA (National Endowment for Science Technology and Arts), e financiado pela agência de inovação britânica, Innovate UK e o Fundo Newton.

Desde o anúncio da parceria, a Wylinka, desenvolveu um minucioso estudo do ecossistema brasileiro, entrevistando os principais atores que interagem com o desenvolvimento de políticas públicas e identificando seus principais desafios. E, de fato, todo este estudo permitiu melhor apoio e a busca por maior impacto como resultado para as soluções subsequentes que estão sendo desenvolvidas embasadas pelos pontos fortes, oportunidades e desafios identificados em nossos estudos.

No mês de novembro, trabalhamos presencialmente com os times com o intuito de aprimorar as capacidades na formulação de políticas públicas para Inovação em todos os participantes e suas instituições e pudemos evidenciar de perto a interação e a evolução dos times. Contaremos um pouco mais a seguir:

 

WORKSHOP NACIONAL

Na semana do dia 7 ocorreram os primeiros workshops presenciais do programa. Divididos em dois grupos, um em Brasília e outro na cidade de São Paulo, os participantes foram apresentados ao mapeamento desenvolvido pela Wylinka e pelo Nesta sobre o ecossistema de inovação brasileiro. A partir deste estudo foram criadas discussões sobre as principais forças e desafios do país quanto à inovação, como também validações sobre os dados levantados, para acréscimo de pontos relevantes trazidos por cada criador de política pública envolvido.

Nos workshops também foram ministradas as primeiras capacitações sobre a metodologia do programa, como prévia para a semana em Londres, no Reino Unido, e foi o primeiro momento de contato entre cada participante, para que eles pudessem compartilhar a bagagem que trazem ao programa: suas experiências enquanto influenciadores de políticas para a inovação.

MDIC, MCTIC, FINEP, SEBRAE, ABDI, BDMG, FAPERGS E FACEPE. Todos com o objetivo comum de transformar o Brasil pela inovação. Essa foi mais uma atividade do Global Innovation Policy Accelerator, um projeto realizado pelo governo britânico, com a facilitação da Wylinka aqui no Brasil.

WORKSHOP LONDRES

Já na semana do dia 19, iniciou-se a primeira semana do programa em Londres, com capacitações e mentorias ministradas pelo Nesta e pelas demais organizações parceiras do programa, como a Innovate UK, 100% Open, Oxentia, University of Manchester e Uscreates. Os participantes tiveram contato com cases de políticas públicas já implementadas com sucesso no Reino Unido e em demais países do mundo, assim como com ferramentas utilizadas para criação e medição de resultados. “Além de ajudar a formular a nova política pública que é o objeto do curso, também vai servir muito para a formação de outras políticas que temos feito no Brasil. Estou tentando já ser um multiplicador dessas ideias dentro da minha instituição.” José Gontijo, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

O programa seguirá ao longo do primeiro semestre de 2019, com o desenvolvimento de protótipos de políticas públicas relevantes aos principais desafios enfrentados pelo ecossistema nacional de inovação e contará com mais um encontro em Londres em Março. Até lá, seguimos no suporte dos times para o desenvolvimento de suas propostas e acreditamos muito no impacto que estes trarão para o ecossistema nacional de inovação.

 

Depoimentos

“(…) os modelamentos apresentados de forma estruturada, com as ferramentas que vocês estão disponibilizando, eu acredito que, além de ajudar a implementar uma nova política pública – que é o objetivo do curso – vai servir para a formação das outras políticas no Brasil. (…) estou tentando ser um multiplicador das ideias dentro da minha instituição para poder levar as formulações para uma transição de governo possa ser feita de maneira ágil e eficiente. Temos como grande desafio nacional fazer o conhecimento se tornar riqueza para o país, temos um gap em relação a isso e o nosso projeto foca em uma dessas pernas.”

José Gustavo Sampaio Gontijo (DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DIGITAL Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Projeto: Conexão Mercado e Universidades: transformar conhecimento das universidades em riqueza para o país)